BULLYING NÃO

Professor: aprenda a combater o bullying


Muitos professores enfrentam um grande desafio: o combate ao bullying em sala de aula. Essa prática costuma ocorrer no ambiente escolar e está associada a intimidações e agressões frequentes praticadas contra um estudante, podendo ser na forma física ou psicológica. Como consequência, isso pode gerar uma sensação de angústia no aluno podendo prejudicar o seu aprendizado ao longo do ano.

Sabendo disso, separamos a seguir 5 métodos para combater o bullying em sala de aula. Confira abaixo:

1 - Observe o comportamento dos alunos
O primeiro passo para identificar a ocorrência de bullying é observar as atitudes dos estudantes. Caso perceba alguma mudança negativa e repentina de comportamento em algum aluno, isso pode não ser um bom sinal. Caso isso ocorra, procure conversar com o estudante e peça para que ele seja sincero com você, oferecendo ajuda. Não espere demais para tomar uma atitude.

2 - Converse com os envolvidos individualmente
No caso de identificar o praticamente e o aluno que está sofrendo o bullying, o mais indicado a fazer é conversar com ambas as partes envolvidas de maneira individual. Chame cada um dos envolvidos para ter uma conversa, em um ambiente onde você possa ouvi-los com calma, dando toda a atenção para defender o estudante que está sofrendo, deixando a vítima em uma situação mais confortável.

3 - Ouça os dois lados
Durante a conversa, é importante ouvir as duas partes envolvidas no caso. Por mais que a vontade seja a de defender a vítima, é preciso também prestar atenção nos alunos que praticaram a ofensa, observando o que eles têm a dizer. Assim, você pode identificar o motivo pelo qual esse tipo de agressão é cometida, ou seja, o que está por trás daquele bullying praticado. Caso você identifique algum problema, é possível indicar um especialista fora do ambiente escolar para trabalhar melhor com o assunto em questão, auxiliando tanto os agressores, quanto a vítima.

4 - Deixe o aluno livre para desabafar
É importante que a vítima esteja livre para falar sobre os próprios sentimentos. No entanto, não tente forçá-la a isso caso ela não queira. Uma estratégia interessante para estimulá-la a expressar o que sente é através da escrita, por exemplo. Você pode propor que o estudante escreva em um papel como foi o seu dia na escola ou quais os seus sentimentos naquele momento, por exemplo. Isso pode ajudá-lo a prestar um melhor auxílio ao aluno.

Fonte: Universia Brasil
Foto: A/D / OpenBrasil.org

Bullying Não - OpenBrasil.org

Postagens mais visitadas